terça-feira, 29 de junho de 2010

esclarecimentos sobre a minha mudança

Auto-conhecimento é uma coisa interessante. Tempos atrás percebi o que já era óbvio: que estava me estressando demais com coisa pouca, pequena. Que eu estava triste, louca, neurótica, chata, carente e insuportável. E não era TPM, era um estado constante. Ainda bem que a gente pode mudar quando quiser, do jeito que quiser. Não bebo mais refrigerante (salvo a Pureza, que é uma delícia que quando visito meu pai sempre compramos); parei com cerveja todo final de semana; troquei as mil cores ao mesmo tempo que usava por escala de cinza, azul marinho, preto e branco; embarquei na seriedade, mas não na chatice; percebi que só ouvia músicas deprê e comecei a buscar coisas mais alegres; passei a sorrir ao acordar e não ver problema em tudo; diminuí drasticamente o número de reclamações que faço; cortei o vício no chocolate todos os dias; respirei fundo quando quis responder e pararam as brigas sem motivo; abracei mais e parei de tentar dominar o mundo. Nós não controlamos nada, nem a nós mesmos. Que adianta tentar nadar contra a correnteza? Decidi que serei uma querida e fofa, do tipo que as pessoas querem ter ao seu lado. Não adianta de nada empinar o nariz, definitivamente. E um muito obrigada a quem vem me ajudando a me descobrir, me entender e que continua do meu lado mesmo quando eu dou ataque. Agora quero fazer tatuagem. Pra marcar essa mudança boa.

2 comentários:

Lui Barbosa Almeida disse...

então tá na hora de tu tomar aquele cafezinho lá em casa. ;D

lena muniz disse...

oia..crescesse foi?
me ensina! rsrsrsrrs