sábado, 13 de setembro de 2008

Não defino meu cabelo, ele é que me define


Garotas, simplórias meninas sem nem sequer terem chegado à 8ª série (ou 9º ano), são tão irreconhecíveis e mutantes que espantam: cachos domados e mortos tornam-se fios lisos e espetados de um loiro homogêneo na maioria das cabeças. A famosa "chapinha" é a melhor amiga das outras garotas menos velhas. Daqui para frente os pobres fios são cada vez mais reprimidos. Ditadura capilar.
Esse grande cesto de meninas insiste em pensar que os fios grudados à cabeça modificarão sua imagem. Elas pintam, cortam, modificam, alisam, tiram toda a liberdade dos fios pobres coitados que sequer mal fizeram a elas todas.
Seria hipocrisia dizer que nada faço aos meus fios, pois todos fazemos: lavamos com xampu, amaciamos com condicionador, secamos e modelamos com o secador, alisamos as madeixas com chapinhas, queimamos suas pontas, cortamos fora o que não nos agrada. Mas tenho a convicção de que tudo o que eu faço nada altera em mim o que sou. Afinal de contas, não sou tão pouco que deva me definir apenas pelo corte ou cor do meu cabelo.
Tenho a certeza de que a liberdade é mais revigoradora que o cárcere. Por isso, deixo aos meus cabelos decidirem por muitas vezes a forma que eles desejam ter. Assim eles têm a liberdade de serem rebeldes se quiserem e não mato a sua felicidade. Os cachos caem, pulam, cantam, sorriem e exalam liberdade. Que metáfora bonita para a sociedade juvenil!

5 comentários:

Luisa disse...

Eu já fui muito fresca em relação ao meu cabelo. Ficava super irritada quando andava por aí com ele desarrumado, maaas hoje em dia eu sou mais relaxada. Se minha franja fica rebelde (o que não é incomum) não entro mais em crise. Mas, ainda assim, eu continuo bem vaidosa e não abro mão da chapinha!

Mas eu acho que quando a gente é novinha, tem é que andar com o cabelo desarrumado mesmo. Essa coisa de ficar se preocupando... Mas o pior é que nessa faixa etária, elas gostam de ir todas produzidas e maquiadas pra escola (na maioria das vezes, ficam bregas). O pior é lembrar que eu fazia um pouco disso tudo na idade delas (como se eu fosse muito mais velha agora!). Nada como um pouquinho de maturidade! huahuahua.

beeijo

Blog do Patrick disse...

Seus textos sao incríveis, de verdade.
Bom fazer amizades com alguém q sabe o valor de cada palavra.
Bjs!

Louie Louie disse...

Exagerado, legal mesmo.
No entanto, não esqueça que tu fosse abençoada por madeixas domáveis e belas por natureza, tenha dó de mim.

lena disse...

Já disse que você vai ser a nosa saramago? Orgulho da tia!

lena disse...

nossa...