sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Je ne "compronmpá"

Sou, irremediavelmente, uma romântica. Piegas, clichê, rosas vermelhas, adoro. Mas há mais romance na criatividade do que no lugar comum. Eu não sou nada para mim mesma ao mesmo tempo que sou tudo. Paradoxo, antítese. Sou meio barroca, parnasiana, modernista, romântica.

Cada qual com seus amores, eu os tenho cá em meu coração que é, na verdade, uma casa aconchegante de dois átrios, dois ventrículos, válvulas e dois tipos de sangue. Entremeio ao sangue arterial, o que me nutre, está aquela pessoa que desejo tanto em conhecer. É, você. Quereria eu que nos casássemos ao som de Beirut - Elephant Gun. Lindo, lindo, lindo... "Para mim basta nosso juramento que havemos de nos casar um com outro".

Somente não caso com Machado de Assis porque ele é um monte de ossos. Mas estou para apaixonar-me mais assim que der um jeito de comprar sua obra completa. Fim.


p.d

2 comentários:

Ewerton A. Trojan disse...

hmmm... obra completa... aaaaaa... leio dpois. Só passei pra dizer que li tbm aqui.

Fui!

Ewerton A. Trojan disse...

As vezes fico me perguntando quantas pessoas mais não experimentam, experimentaram essas sensações de pertencer a história enquanto lêem, assistem Machado de Assis. "Meu Deus! Como Pode? É exatamente isso que sinto. É exatamente isso que sou". Por isso Ele foi um gênio. Sabia passar para papel sentimentos em palavras, que correspondem as sensações que temos e guardamos para nos mesmos.

Ontem vi uma estrela cadente.