quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Ele


Quando somos pequenos temos idéias e planos de futuro tão simples que acabamos não os realizando. Eu, por exemplo, quando era menor, queria ser como meu pai (ainda o quero). Devido à separação dos meus pais, as férias de verão eram sempre em Floripa, na casa do pai. Eu era bem menor do que sou hoje, e provavelmente mais chatinha. Sempre fui um poço de organização e responsabilidade, o que acabou matando algumas das alegrias da minha infância. Certa vez, por exemplo, quando meu pai ainda tinha o escritório, juntei todas as contas que achei, separei-as por "Contas Pagas" em uma pastinha e "Contas A Pagar", em outra.

Quando saíamos a pé era quando meu coração batia mais forte. Eu não conseguia entender como meu pai sabia em que rua virar, que hora era certa para atravessar a rua ou que lado da rua tomar. Não sabia como ele conseguia lembrar de tantas ruas, daquele emaranhado de ruelas e calçadas do Centro de Florianópolis. Ficava a imaginar que quando crescece, que quando fosse uma mocinha, gostaria de ser como ele. Aquela altivez sempre me encantou. Olhava de baixo com o maior orgulho do mundo: esse homem esperto é meu pai!! Não é de se admirar que hoje eu saiba cortar ruas com a mesma facilidade.

Sempre quis ser como meu pai em quase tudo: a criatividade ainda nem chego aos pés; a inteligência venho cultivando; o bom-senso e a amizade tenho aplicado; a liberdade de si mesmo é coisa que ainda falta; a despreocupação é algo que precisaria aprender; agora, a pontualidade é algo de que ganho dele! Para que cumprir prazos, né Maurício?

Não olho mais de baixo pois cresci tanto que papai adora dizer que não me deixará passar da altura dele, que isso seria um ultraje! Ainda assim, continuo me orgulhando dos dois incríveis: mamãe e papai.

2 comentários:

André Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Louie Louie disse...

teu pai é real e extremamente singular - se é que dá pra ser mais singular que um só -, e tu não fica pra baixo, não! nem um pouco na realidade...
ei, boas provas! tem gente te esperando aqui em floripa.