segunda-feira, 23 de março de 2009

Do primeiro beijo


Chega uma hora que sua boca vai encostar na de outro alguém, e não há como evitar. Lembro-me hoje, dos meus anos de glória, rindo de mim mesma. A primeira vez que profanei minha boca junto a de outro menino foi numa daquelas brincadeiras de criança. Foi nas férias de verão e quando recomeçaram as aulas empinei meu nariz pois minha boca não era mais de criança.

Aconteceu que minha boca era de criança sim, somente meus lábios haviam sido contaminados pela nova fase da vida. Estava tomando banho pois estava na piscina quando duas das minhas amigas vieram correndo, eufóricas, dizendo que Ele estava lá. Eu, bem calma, fiz o que teria de ser feito. E depois, acabei profanando todos os cantos da minha boca com língua na língua e tudo! Lembro-me da lagarta verde na parede e do gosto do beijo que perdurou dias.

"Atire a primeira pedra
Quem não sofreu, quem não morreu por amor
Todo corpo que tem um deserto
Tem um olho de água por perto


Para ouvir basta abrir os poros

Para aceitar basta oferecer

Para quê adiar um desejo

De alguém que lhe quer tanto beijo


Quem de vocês

Resiste a uma tentação

Quem pretende revogar a lei do coração


Quem ousaria

Dessas vozes duvidar

Deixa a sua natureza se manifestar"

5 comentários:

Norton Zanini disse...

:o

Cara eu era o maior dos safados na epoca do "primeiro tudo" uehahuahuahauhauh

enfim, bons e hilariantes momentos q hj soh rimos, mas que Naquela hora avermelhamos as boxexas e engolimos um Nó.

;)

Rodolfo disse...

Beijinho selinho eu já era especialista desde os 6 anos, quando tive uma namoradinha! hiUAHIuha
Mas o primeiro de verdade foi só aos 12, no elevador do prédio. ;x

Mari disse...

o meu foi bem lindo, numa montanha russa! mega romântico! hahaha

gostei do blog, linkei lá no meu, ok?
beijo-beijo

Mari disse...

digo, foi numa roda gigante... até porque numa montanha russa fica meio difícil! hjasuihuiasa

dã. disfarça.
:x

Lui Barbosa Almeida disse...

Me achava o máximo, o mais namorador. Também pudera! Aos 12 anos com 1,69m, lábios carnudos e pele morena naturalmente, eram muitas as garotas que alimentavam meu ego.
Lembro bem da primeira vez que lambi o rosto e boca de uma menina, mas não lembro do meu primeiro beijo de verdade. Lembro da moça, de outros beijos, outras ocasiões, mas o primeiro não. Sei que fico nervoso até hoje, já tou no meu não-sei-quantésimo beijo na mesma garota e, mui clichemente, ainda sinto contorcer minha barriga.
Ah, as primeiras vezes.