quarta-feira, 31 de agosto de 2011

pelo direito de não estar bem



como diria Tom Jobim: "tristeza não tem fim, felicidade sim". mas, sempre vai ter alguém que vai dizer "vamos lá com a gente que você vai ficar bem", ou "faz isso que melhora". mas às vezes nada nos faz melhorar. e aí? será que não é bom sofrer um pouco? ficar triste? chorar? eu gosto.

e estar feliz o tempo todo deve ser muito chato! não sofrer, não aprender com as quedas, estar sempre de bem com tudo, na calmaria... eita coisa mais insuportável! sou a favor dos dias tristes e cinzas, porque sem eles não haveria graça nos dias lindos de sol.

mas o que faz a gente estar nessa busca incessante rumo à felicidade? "porque há inevitavelmente uma parte de "sofrido", de inconsciente, de incontrolável na experiência da felicidade, sou menos eu que a escolho do que ela me escolhe. Uma espécie de estado de graça, "vem quando quer, não quando eu quero". (...) O homem prometéico se parece sempre com um anão sentado sobre ombros de gigante: resta-nos viver com a consciência de que a felicidade é o incontrolável, fugidio, imprevisível, intransponível enigma de hoje e, sem dúvida, de amanhã." (Lipovetsky)

esse post é uma homenagem ao fim do mês de agosto: ACABA!

3 comentários:

gusruchaud disse...

<3 essa música
é minha adolescência *-*


até me senti depressivo agora rs.

gusruchaud disse...

só pra deixar claro, a música fez parte da minha adolescência

e não

minha adolescência foi uma tristeza que não tinha fim. :B

O Impenetrável disse...

ando refletindo muito sobre o tema felicidade, creio que estou a buscar algumas regras de sobrevivência.

lindo o blog e que os próximos dias sejam inspiradores

beijo.